Taddei

Immagine

É em jogos aparentemente pouco importantes que, às vezes, se encontram as mais belas histórias. E as histórias mais lindas são frequentemente aquelas pouco contadas. O mestre Giovanni Lido cantava que “os sinais luminosos atraem as corujas” e é verdade, porque os tesouros mais preciosos não brilham, os sentimentos mais profundos precisam se esforçar para vir à tona. Às vezes precisam permanecer onde estão para sempre. Jamais serão moda. Então, acontece um Chievo-Roma, que você vivencia mais uma vez, e talvez você tenha aquele meio ritmo de partida a mais, além da sua enorme experiência e seu grande profissionalismo e, então, você joga a partida mais bela e assim naturalmente as palavras lhe ocorrem. Como uma canção para você. “Quero ficar mesmo jogando pouco, mas não quero ser um peso para o time, para os fãs e para os companheiros, senão não é bom. Eu tenho a Roma no fundo de meu coração”.

Simplesmente assim. Enfim, porque evidentemente para Rodrigo Taddei o fim de uma partida sempre foi o início de algo mais que rima com seriedade, já que faz nove temporadas que ele está sempre pronto, dizendo sempre sim, sem hesitação, sem medos, sem controvérsias, mesmo com um sorriso que – e este é o milagre – é pleno e não meramente insinuado, mas autêntico, como aquele seu enorme rosto não lindíssimo, porém verdadeiro. A verdade de uma carreira honesta. A verdade da humildade. A força das histórias que lhe acompanham. O sentido de um banco de reservas. O significado de um time. A beleza de uma rosa. O valor da rotina. É tudo isso que se pode ouvir naquelas poucas palavras que revelam e, simultaneamente, escondem dez anos de seriedade. É o eco de duas mil vozes que ontem por todo o tempo cantaram a mesma coisa: “Tenho a Roma no fundo do coração”. É dentro dos jogos que parecem pouco importantes que, às vezes, se encontram as histórias mais lindas. Até porque não existem partidas pouco importantes. E, sobretudo, não existe uma história mais bela que a da Roma.

Annunci

Informazioni su Tonino Cagnucci

Romanista. Papà di Lorenzo

Pubblicato il 23 marzo 2014, in Mondo con tag , , , . Aggiungi il permalink ai segnalibri. Lascia un commento.

I commenti sono chiusi.

%d blogger hanno fatto clic su Mi Piace per questo: