Fora a cabeça, onde está o coração?

Falcão dizia: “Jogos se vencem com a cabeça”. E também por isto ele a mantinha sempre alta quando avançava. Cicinho olhava pro chão enquanto caia por trás, marcava na Roma e, com a cabeça, mandava pro espaço uma partida já garantida. Cirero pro domo loro. Mas também não é só culpa sua mais esta ilusão romanista da temporada, este empatezinho mesquinho. Os jogos se vencem com a cabeça porque se devem jogar até o ultimo segund, possivelmente além, continuando a praticar situações justas em treinamento, ou melhor, foram também. Sempre.

Não se pode levar um gol ala Pruzzo de Cicinho no ultimo minuto depois que o Bologna, desde a entrada de Arthur, não havia dado um chute a gol; e não se pode aceitar com o coração leve um cartão a um jogador fundamental, Pizarro, que estava pendurado, a uma semana e um minuto do derby. Em poucos segundos tudo acabou. Uma cabeçada. Continuamos assim, fazendo mal… E é uma pena porque, depois do jogo contra o Chelsea, não existia um só romanista que não acreditasse na vitória no Dall’Ara, não apenas no final do jogo, mas antes mesmo que iniciasse.

Muito bela aquela noite blu contra os blues no Olimpico. Mas nós não demos prosseguimento da mesma forma, fizemos mal. E é uma pena porque Spalletti, a fórmula certa, parecia tê-la (re) encontrado: Riise na tribuna, Loria no banco junto com Menez e Baptista; Arthur quando entrou suava as luvas: está sem campanha de mercado, está com a velha Roma que bateu o Chelsea e estava vencendo em Bologna. Está com a velhíssima Roma, aquela eterna: Francesco Totti. Ontem completou 400 jogos com a mesma camisa na Série A, a primeira jogada a 15 anos atrás quando Obama fazia 32: sua idade hoje.

Agora, se o Capitão chega em tempo a Casa Branca, existe algo mais urgente: o derby, no próximo domingo. Certas partidas se vencem com a cabeça, mas uma sobretudo com o coração. Aqui não existem desculpas, isto não é passivo de derrota: ou existe, ou domingo deve ter. “Cabeça e coração”, existe algo que não pode-se esquecer.

 

© Antonio Carlos Zamarian

Annunci

Informazioni su Tonino Cagnucci

Romanista. Papà di Lorenzo

Pubblicato il 9 novembre 2008, in Mondo con tag , , . Aggiungi il permalink ai segnalibri. Lascia un commento.

I commenti sono chiusi.

%d blogger hanno fatto clic su Mi Piace per questo: