Mancini: “Assim vamos longe”

“Este é o caminho certo”. Não diz outra coisa Alessandro Mancini nos vestiários do Granillo, não obstante a Roma dali saiu recentemente derrotada, não obstante a lama e a chuva e a liderança perdida. E não é apenas porque nesta noite cinza ele foi um dos poucos recebeu uma nota da rodada.

“Estou convencido que o espírito com o qual enfrentemos inclusive este jogo era aquele justo – explica o número trinta – a mentalidade de hoje (ontem) foi a daquelas outras jogadas, e também vencidas. Deveremos ir adiante assim, com a cabeça alta”. E então porque a Roma perdeu? “Desta vez nos faltou realmente um pouco de sorte além do mérito pelo que apresentou a Reggina. Eles jogaram bem, foram agressivos desde o inicio, desde a primeira dividida, acreditaram até o final, lutaram até o fim como nós. Desde o principio sabíamos que não seria fácil esta partida, não chegamos aqui desprovidos, não esnobamos o empenho. A Reggina havia jogado bem praticamente todas as outras partidas do campeonato, e tinha a pena sofrida na classificação, não poderia fazer diferente senão jogar para vencer a partida brigando até o fim”. E no final conseguiu, quem sabe ajudada, além do árbitro, também com o campo encharcado, uma espécie de lamaçal, que parou muito e (mal) com prazer o ataque romanista. Isto não é um álibi. “Isto é verdade – confirma também Amantino – o campo era ruim, encharcado, e penalizou mais a equipe técnica, isto é a Roma: a bola parava continuamente nas poças, para nós que jogamos sobretudo no chão foi um problema não o menor. A Reggina ao contrario foi uma equipe quase exclusivamente de lutadores, de operários (textuais), e nestas condições foi ajudada. Foi assim”.

Foi assim também porque Amoruso marcou praticamente impedido: “Não sei, mas onde eu estava parecia mesmo que os atacantes estavam além da linha dos nossos defensores, mas estava um pouco longe e então não é este o ponto, não podemos atacá-los com isto. Não tivemos sorte nas conclusões, mas o jogo nós criamos, a partida fizemos nós, o campeonato ainda é longo…”. Não existe o risco que esta partida desmoralize o grupo? “Absolutamente não, este é o nosso espírito de grupo, mesmo se fomos derrotados estamos prontos para recomeçar, a equipe sabe que lutou e basta isto para não se abater, a cabeça erguida”, repete. Erguida, por certo, um sinal positivo tem a sua prestação, vinda depois da lesão sofrida no jogo contra o Inter: “Sim, consegui desenvolver algumas jogadas, os meus driblings e isto é importante, mas conta mais a jogada em conjunto com toda a equipe: e inclusive encontramos, mas não desfrutamos. Eis então, deste ponto de vista precisa-se melhorar”. E Mancini está pronto para o Olympiacos? Estamos já pensando na Liga dos Campeões, eu estou nos meus 60%, senti um pouco, mas estou a disposição do mister”. Que então espera avaliar realmente como estão as coisas, aquela dor. “Eu estou a disposição”. Seria realmente importante.

Annunci

Informazioni su Tonino Cagnucci

Romanista. Papà di Lorenzo

Pubblicato il 17 ottobre 2006, in Mondo con tag , , , . Aggiungi il permalink ai segnalibri. Lascia un commento.

I commenti sono chiusi.

%d blogger hanno fatto clic su Mi Piace per questo: